9 December, 2018, 06:05

El Enemigo – Enoturismo em Mendoza

Uma das maiores surpresas do enoturismo em Mendoza foi a Vinícola El Enemigo. Ela pode ser considerada como um “braço” da Catena Zapata, já que tem tem Adrianna Catena e Alejandro Vigil (enólogo chefe da Catena) como fundadores, porém, de nada tem igual à Catena Zapata.

Veja também – Enoturismo na Catena Zapata

Na El Enemigo, Alejandro Vigil pode criar vinhos mais expressivos e com características jovens. A vinícola em sí mostra essa diferença. Ambiente despojado, música moderna na caixa de som (um rock antigo delicioso) e um jeito descontraído de fazer a degustação.

Degustação na El Enemigo

Estávamos em 4 pessoas e decidimos fazer a degustação completa, onde todos os vinhos da casa poderiam ser experimentados. Cada casal degustou 10 tipos de vinhos diferentes, e alguns de safras diferentes, aquelas super pontuadas – O mais impressionante é que, se a gente quisesse, poderíamos terminar com garrafas, mas claro que não o fizemos.

Entre as degustações estavam os El Enemigo e os Grand Enemigo, incluíndo Agrelo Single Vineyard safra 2013 e o Gualtallary Single Vineyard safra 2014. A safra 2013  deste último vinho teve 100 pontos dados pelo crítico Robert Parker (veja as dicas abaixo).

A história Contada pela El Enemigo

A história de como tudo começou é muito interessante: no dia 18 de setembro de 2009,  Alejandro Vigil e Adrianna Catena voltaram da embaixada argentina em Londres, onde Nicolas Catena havia acabado de receber o prêmio de Homem Decanter do Ano entre um grupo de queridos amigos de todo o mundo. O Tâmisa estava coberto de névoa quando Adrianna começou a contar a Alejandro sobre o Grande Incêndio de 1666, histórias de outra noite de setembro em Londres.

Adrianna é uma historiadora que completou recentemente seu Ph.D. em História na Universidade de Oxford. Alejandro, engenheiro de solos, é o enólogo-chefe da Catena Zapata desde 2002. Eles compartilham um fascínio mútuo com os escritores Dostoyevsky e Cortázar, além de uma paixão pelos filósofos helênicos.

Junto às coincidências filosóficas, os dois ainda possuem um amor por livros usados, música ao vivo, longas refeições com velhos amigos e uma profunda dedicação às suas famílias (onde suas filhas tem a mesma idade).

Naquele passeio, Alejandro e Adrianna decidiram fazer um vinho juntos, um vinho que representaria o profundo respeito pela história e tradição, e sua completa irreverência em relação ao status quo.

Dicas sobre o Enoturismo na El Enemigo

Para aproveitar esse lugar incrivel, fica aqui as minha dicas sobre s vinícola:

  1. Não atrase – atrasamos e quase perdemos a degustação. No fim, não fizemos a visita na vinícola!
  2. Reserve com antecedência de, pelo menos, 1 mês
  3. Peça para fazer a degustação vertical, se possível.
  4. Se Alejandro Vigil estiver pela vinícola, CONVERSE com ele!! Dizem que ele senta na mesa com você, conta toda a sua história e projetos e ainda abre as melhores safras da El Enemigo
  5. Aproveite para comprar as safras pontuadas na própria vinícola. Algumas você não encontra mais em nenhum lugar, além de terem um excelente preço lá.

Fica ligado(a) que jájá coloco mais sobre vinícolas que visitei em Mendoza: Kaiken, Renacer, Bodega de Baquedano, Andeluna entre outras. Quer conhecer sobre todas as vinícolas que já visitei? Clica aqui.

Ex Limão com Alecrim, formada em gastronomia, apaixonada por esportes, vinho, boa gastronomia e viagens.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: