8 December, 2018, 23:51

Degustação Vertical do Roquette & Cazes

Uma degustação vertical do vinho Roquette e Cazes é, com certeza, muito especial. Ter – “apenas” – Thomas Roquette, da Quinta do Crasto e Jean Charles Cazes do Château Lynch-Bages conduzindo essa evento fez a minha tarde ser incrível.

Conheci o vinho Roquette & Cazes em uma degustação da importadora Qualimpor e confesso que me chamou muito a minha atenção por ser um projeto entre duas famílias que já esta completando 15 anos.

O projeto juntou dois amigos: Jorge Roquette da vinícola portuguesa Quinta do Crasto e Jean-Michel Cazes do Château Lynch-Bages da França. Dessa união vieram dois vinhos: o Xisto, primeiro a ser elaborado e o Roquette & Cazes.

Projeto Roquette & Cazes

Em 2002, as duas famílias decidiram criar uma empresa para produzir grandes vinhos que fossem marcados pelas características naturais do Douro e pela experiência dos Cazes que fazem vinhos em Bordeaux há cerca de um século.

Havia dois grandes desafios neste projeto:
– respeitar as características do Douro para não perder o toque local;
– juntar duas equipes de enólogos que falam línguas completamente diferentes e trabalham separados por uma distância de 1000 km.

Desse desafio, nasceu o Xisto – Roquette & Cazes 2003, o primeiro vinho deste projeto, lançado na Vinexpo de 2005.

Nessa mesma feira, o resultado do Juri fez do Xisto uma revelação mundial, incluíndo entre os Top Ten e na categoria Les 3 Exceptionnels.

Após três edições de sucesso do Xisto – Roquette & Cazes, foi criado o Roquette & Cazes 2006. Um vinho com características parecidas, porém com um maior estágio em garrafa, tornando-o pronto a beber.

Vinificação e Características do Vinho

O vinho Roquette & Cazes é elaborado com uvas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz. Na produção do vinho Roquette & Cazes são usadas duas vinhas com diferentes localizações na Região do Vale do Douro: Cima Corgo e Douro Superior.

A vinificação é um processo conjunto dos dois enólogos e totalmente feita na adega da Quinta do Crasto. Para conservar as características do Douro, mas integrá-las com elegância, criaram um sistema de vinificação específico, com remontagens suaves e macerações prolongadas, conseguindo, assim, vinhos intensos, bem estruturados, elegantes, com personalidade própria e bem marcados pelo “terroir”.

Para o estágio são usadas barricas de carvalho francês (70% novas e 30% de um ano) provenientes do fornecedor do Château Lynch-Bages. O estágio na garrafa é depois feito nos armazéns da Quinta do Crasto, a temperatura controlada.

O vinho Roquette & Cazes apresenta uma cor violeta intensa e, no nariz, aroma cativante de frescos frutos silvestres, associados a elegantes notas de forais que fazem lembrar violetas, bem integradas com suaves aromas de cacau.

Na boca, demonstra início elegante, que evolui para um vinho de volume e estrutura compacta de taninos de textura fina. Agradável sensação de frutos do bosque em perfeita harmonia com suaves notas violetas. Final de grande solidez, frescura e persistência.

Como sugestão de serviço, é aconselhável servir o vinho Roquette & Cazes a uma temperatura de 16 ºC com pratos de carne e caça, seja na grelha ou no forno e com cozinha regional italiana.

Qual o motivo de uma Degustação Vertical

Na degustação vertical, um vinho específico de um determinado produtor e rótulo é escolhido para provar as suas diferentes safras.

Isso é feito para perceber a evolução do vinho e o que mudou a cada safra, identificando as influências do clima e pequenas mudanças feitas por seu produtor.

Normalmente a degustação começa da safra mais nova para a mais antiga, não sendo, necessariamente, de anos consecutivos.

Ex Limão com Alecrim, formada em gastronomia, apaixonada por esportes, vinho, boa gastronomia e viagens.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: