18 January, 2019, 21:16

Como entender um “enochato” com os termos de vinho

Na maioria das vezes que você pedir um vinho, você vai ter aquele amigo enochato – ou até quem esta tentando pagar de gatão/gatinha – que se acha entendido de tudo. Para não ficar “voando” e palpitar sobre o que está sendo debatido, trouxe um glossário dos termos de vinho para facilitar sua vida.

ps: Deixe nos comentários algum termo que você ouviu, mas não entendeu que irei atualizar esse post constantemente.

Termos de Vinho

Acidez – Componente do vinho que consiste em ácido tartárico (natural das uvas) e compõe entre 0,5% e 0,7% do vinho por volume.

Açúcar residual – O açúcar que fica no vinho após a fermentação

Adstringente – Adjetivo para o caráter que é causado pelo tanino, acidez ou pela combinação dos dois. Normalmente não é algo positivo.

Aerar – Expor o vinho ao ar antes do consumo

AOC – Appellation d’Origine Contrôlée. Categoria oficial da França para os tipos de vinho mais bem qualificados, cujo nome, origem, variedades de uva e outros fatores determinantes são regidos por lei.

Aroma – cheiro de um vinho. Há quem use este termo para descrição de vinhos brancos e há quem use para a descrição de vinhos jovens.

Áspero – adjetivo para aromas e sabores de fruta não madura. Também aplicado a um vinho muito ácido.

Ataque – primeira impressão que o vinho te passa ao degustar.

Barrica – recipiente pequeno feito em madeira para fermentar e/ou envelhecer o vinho. Normalmente tem 230 litros e é feito de carvalho

Bodega – termo em espanhol usado para descrever vinícolas

Borra – sólidos de uva e células mortas de levedura que ficam no fundo da garrafa após a fermentação. Parece uma borra de café.

Buquê – cheiro de um vinho. Há quem use este termo para descrição de vinhos tintos e há quem use para a descrição de vinhos mais complexos.

Caráter Varietal – características de um vinho quie podem ser atribuídas à variedade de uva a partir da qual foi feito. Veja aqui 6 mitos sobre os vinhos

Caule – adjetivo para vinhos tintos que dão a impressão de terem taninos secos, grosseiros e amadeirados, como se viessem dos caules dos cachos das uvas.

Château – nome francês para uma grande propriedade vinífera.

Clássico – termo italiano aplicado à alguns vinhos DOC ou DOCG, cujos vinhedos estão situados na parte original do território para aquele tipo específico de vinho

Colheita – safra, em português

Complexo – vinho com vários aromas e sabores

Componentes Estruturais – álcool, ácido, tanino, açúcar (se houver) de um vinho

Corpo – impressão do peso de um vinho na sua boca

Corte – mistura de dois, ou mais lotes de vinho, em geral, de variedades de uva diferentes

Cosecha – safra, em espanhol

DO – Denominación de Origen (ESP) ou Denominação de Origem (POR). Categoria oficial da Espanha e de Portugal para os tipos de vinho mais bem qualificados, cujo nome, origem, variedades de uva e outros fatores determinantes são regidos por lei.

DOC – Denominazione di Origine Controllata. Categoria oficial da Itália para os tipos de vinho mais bem qualificados, cujo nome, origem, variedades de uva e outros fatores determinantes são regidos por lei.

DOCG – Denominazione di Origine Controllata e Garantita. Categoria italiana oficial para os vinhos mais bem classificados

Doçura –  impressão de gosto adocicado em um vinho, pode ser devido a presença de açúcar residual ou outras substâncias no gosto doce

Elegância – atributo de vinhos que se expressam de maneira fina ou delicada e não de modo intenso ou forçoso

Equilíbrio –  relação entre o álcool e o açúcar residual, ácido e tanino de um vinho. Quando nenhum componente se sobressai na sua boca quer dizer que o vinho é bem balanceado.

Fermentação – processo natural através do qual o açúcar do suco da uva é transformado em álcool

Final – impressões finais de um vinho após engolir ou cuspir.

Filoxera – parasita que se alimenta das raízes das videiras Viti Viniferas, resultando na morte prematura da vinha (tem uma história bem interessante sobre isso. Em breve publico aqui no blog – me cobrem)

Firme – adjetivo para um vinho que não é suave, mas também não é desagradável ou grosseiro.

Flácido – termo pejorativo para descrever vinhos com sabor suave demais devido à falta de acidez ou tanino

Fresco – vinho que dá uma sensação limpa e levemente sensível na boca – oposto de suave

Generoso – adjetivo para vinhos cujas características são expressivas e fáceis de perceber

Gosto – termo genérico para a totalidade de impressões que um vinho dá na boca, mais especificamente aquele primeiro gosto encontrado no vinho: doce, azedo e amargo.

Gran Reserva – termo espanhol de que um vinho envelheceu por, pelo menos, cinco anos antes do lançamento, dois deles em barrica de carvalho.

Herbáceo – vinho com aromas e sabores que lembram ervas, sejam frescas, secas ou específicas.

Intenso – usado como referência para descrever seu volume (ex: vinho com aroma intenso de mirtilo)

Leveduras – microrganismos unicelulares responsáveis por transformar o suco de uva em vinho

Maceração – processo de encharcar as cascas de uvas vermelhas em seu suco para transferir a cor das cascas, tanino e outras substâncias para o suco. Nesse processo o suco de uva descansa em contato com as cascas das uvas. Normalmente não é usado na produção do vinho branco.

Magro – descrição de vinho sem substância

Maleável – adjetivo para vinhos que parecem ter textura fluida na boca, sem aspereza ou acidez. Ponto positivo para o vinho.

Maturação – período de envelhecimento na vinícola durante o qual um vinho evolui para um estado de aptidão para o engarrafamento. É o processo de desenvolvimento e evolução pelo qual os vinhos finos passam depois de serem engarrafados

Mineral – adjetivo para sugerir que o vinho tem aromas e sabores de minerais.

Novo Mundo – termo coletivo para os países produtores de vinho situado fora da Europa

Peso – impressão do volume de um vinho na boca

Pipa – recipiente de madeira relativamente grande para fazer ou armazenar vinho

Redondo – adjetivo para vinhos percebido na boca como sendo nem plano e nem anguloso. Em outras palavras, esse adjetivo relaciona com a estrutura do vinho.

Reserva – Na Espanha é usado este termo para indicar que o vinho envelheceu mais tempo na vinícola. Os vinhos tintos reserva devem envelhecer por pelo menos três anos antes do lançamento.

Safra – ano em que as uvas do vinho foram cultivadas e colhidas.

Tânico –  vinhos que parecem ter alta concentração de tanino

Tanino – substância presente nas cascas, caules e sementes das uvas. Um componente importante dos vinhos tintos que, ao contrário dos brancos, são feitos com a utilização das cascas das uvas. O tanino também é um componente dos barris de carvalho.

Terroir – palavra francesa que é um termo coletivo para as condições de cultivo de um vinhedo como clima, solo, drenagem, inclinação, altitude, topografia e assim por diante.

Varietal – vinho que leva o nome da única ou da principal variedade de uva com a qual foi feito

Velho Mundo – termo coletivo para os países europeus fabricantes de vinho

Vinhas Antigas – termo não regulado para as videiras cuja qualidade do fruto é, presumivelmente, muito boa devido ao fato de as vinhas serem antigas – em geral, com 40 anos ou mais – e, portanto, produzirem uma safra muito pequena de uvas concentradas.

Vinho de Segundo Rótulo – vinho menos caro fabricado por uma vinícola a partir de uvas ou vinhos que não são considerados os principais rótulos do local

Vinho de único Vinhedo – vinho feito a partir de uvas de um único lote de terra, que geralmente leva o nome do vinhedo em seu rótulo.

Vinificação – atividade de transformar suco de uva em vinho

Viticultura – atividade de cultivar uvas

Vitis Vinifera – espécie à qual pertence a maioria das uvas viníferas do mundo

 

Fonte: Vinho para Leigos

Ex Limão com Alecrim, formada em gastronomia, apaixonada por esportes, vinho, boa gastronomia e viagens.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: