22 November, 2018, 02:54

Caballo Loco – Enoturismo em Santiago

O icônico Caballo Loco é uma produção de sucesso da vinícola Valdivieso, no Chile. Ele não tem safra, denominação de origem ou terroir específico e sua produção foi de modo despretensiosa, quebrando paradigmas do vinho chileno.

Atualmente ele é considerado um dos melhores vinhos do país e sua produção é apenas realizada quando o enólogo acredita que o ano teve uma boa safra.

 Veja mais sobre Enoturismo

Como começou o Caballo Loco

Tudo começou na infância do seu fundador Jorge Coderch, que era tão ativo que ganhou o apelido de Caballo Loco, ficando apenas entre os íntimos e família.

Em 1991 a vinícola de Lontué, no Vale do Curicó, originou uma boa safra e o Jorge solicitou que fosse guardado um barril da melhor reserva para sua coleção pessoal. O mesmo aconteceu nos anos 1992 e 1993.

Com o tempo, estes barris passaram a ser conhecidos entre os funcionários da vinícola como “os vinhos do Caballo Loco” e não poderiam ser usados para nada.

Em 1994, o enólogo da Valdivieso necessitava usar as barricas e sugeriu que as safras fossem misturadas. Surgiu assim um blend que até então era inédito na América do Sul. Para deixar o vinho equilibrado, ainda foi misturada uma parte da safra de 1994.

O blend foi apresentado ao Diretor da Valdivieso que percebeu que tinha algo especial alí. Escondido do Jorge, ele levou para a Europa algumas garrafas com o nome “CL Nº1” para concorrerem em uma das mais importantes competições mundiais de vinhos na França. O resultado foi o primeiro lugar em sua categoria.

Sucesso de vendas

Retornando ao Chile com o prêmio em mãos, era a hora de informar Jorge. A princípio não gostou de usarem seu apelido de infância, mas decidiu engarrafar e vender 50% do blend armazenado na barrica com o nome Caballo Loco nº 1.

Uma curiosidade é que naquela época, a lei do chile não permitia a mistura de safras em qualquer vinho e, por conta disso, a vinícola teve que lutar pelo direito de rotular e vender o Caballo Loco como vinho.

Com o sucesso das vendas, o mesmo se repetiu no ano seguinte: 50% do Caballo Loco nº 1 + blend da safra de 1995. Novamente as vendas acabaram rapidamente e assim nasceu a tradição do vinho Caballo Loco.

Até hoje, quando uma safra é considerada muito boa, ela é misturada com 50% do blend anterior. Ou seja, até hoje, existem resquícios da safra de 1991 nos vinhos numerados.

Durante esses 24 anos do Cabalo Loco numerado, apenas 17 foram feitos!

Hoje demais vinhos do Caballo Loco são conhecidos: os Grand Crus! Esta linha de vinhos foi criada para mostrar os diferentes vinhos que são componentes fundamentais do vinho Caballo Loco. Por esta razão, vinhos de vales específicos nascem, onde cada linhagem reflete sua expressão máxima.

Caballo Loco Grand Cru

Maipo (vermelho)

Caballo Loco Grand Cru Maipo, nos dá a elegância e estrutura típica do Vale do Maipo Alto, com uma mistura de Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc.

Ideal para acompanhar carnes vermelhas (veados, lombo, entranhas, carne tipo Angus), cordeiro e carnes exóticas como javali ou avestruz. Também é aconselhável com molhos picantes e molho de churrasco.

Limari (amarelo)

Mostra uma interessante complexidade aromática e o caráter mineral do Vale do Limarí, com 100% puro Syrah.

Acompanha bem carnes vermelhas com molhos picantes, cordeiro, frango e carne de porco assada e lanches como presunto e queijos fortes (Gruyere, Edam e Brie).

Apalta (azul)

Representa toda a força e suavidade dos frutos do Vale de Colchagua, com uma mistura de Carménère e Cabernet Sauvignon.

Além das carnes vermelhas magras, harmoniza bem com carnes brancas como frango, pato, carne de porco condimentada, risoto e massas com molhos picantes. Você também pode acompanhar peixes grelhados, como atum.

Sagrada Família (verde)

Com uma estrutura elegante e suave, é uma mistura de Malbec, Cabernet Sauvignon e Carménère, do tradicional terroir Sagrada Familia.

Também excelente para acompanhar carnes vermelhas cozidas ou grelhadas, churrascos e carnes brancas condimentadas, como frango.

Ex Limão com Alecrim, formada em gastronomia, apaixonada por esportes, vinho, boa gastronomia e viagens.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: