20 May, 2019, 17:45

Azeites do Esporão

Como qualquer foodie, azeites é um dos meus pontos fracos, principalmente na hora de “molhar” aquele pão artesanal ou temperar um belo peixe. Desta vez a degustação foi diferente e, no lugar de vinhos, degustamos os azeites do Herdade do Esporão.

Veja aqui o Enoturismo em Portugal onde conheci a vinícola Herdade do Esporão e o processo de produção dos azeites do Esporão.

Nossa degustação teve a liderança da oleóloga Ana Carrilho que veio direto de Portugal para nos ensinar as diferenças entre os azeites do Esporão, que é líder há mais de 4 anos na venda de vinhos portugueses no Brasil e esta caminhando para o mesmo caminho com seus azeites.

A degustação teve início com o Azeite Extra Virgem , passando por outros 4 tipos e encerrando com um almoço delicioso no Bio, do chef Alex Atala que usou os azeites nos preparos de seus pratos.

Azeite Virgem Extra

O azeite Virgem extra é bem fresco e tem um aroma frutado de azeitonas verdes e maduras com notas de frutas e ervas. Como todo azeite, tem uma picância no momento de degustar

É bom para finalizar pratos quentes.

Azeite Galega

O galega tende a ser o azeite preferido por ser mais frutado, com notas de maçã. Ele é doce e pouco picante, além de ter um gosto persistente na boca.

É ideal para temperar saladas de frutas, abacaxi grelhado, legumes, peixes delicados e frios.

Azeite Cordovil

Um azeite mais herbácio, ou seja, mais leve! Sua acidez é de 0,3%, sendo ótimo para harmonizar com saladas, receitas de tapas (entradinhas tipicamente espanholas) ou um pãozinho.

Ele tem um aroma frutas, com um quê de alcachofra super marcante. No paladar, inicia doce com um toque amargo e picante. No fim tem frutos secos, continuando com sua doçura.

Azeite Selecção

Aquele amargo picante que vai amenizando na boca. Muito equilibrado e um dos meus favoritos do Esporão.

Seu aroma é bem complexo pois mistura quatro tipos de azeitonas: cobrançosa, picual, cordovil e frantoio. Tem um frutado bem intenso com um quê de cítrico com notas de ervas aromáticas.

Sua acidez é de 0,2% e ele é ideal para vegetais e hortaliças cozidas (uma receita de gaspacho, por exemplo), temperar chocolate ou até mesmo com um pãozinho 🙂 .

Azeite Olival dos Arrifes Biológico (Orgânico)

A minha primeira impressão é de um azeite mais fresco que os demais, com notas herbáceas e, óbvio, um toque apimentado, mas suave.

Este azeite é muito equilibrado e possui um aroma floral com notas de alcachofra. Na boca, é ligeiramente picante, pouco amargo e um final que lembra frutos secos.

Sua acidez é de 0,1% e deverá ser utilizado frio para temperar legumes frescos, massas, peixes no vapor ou grelhados e saladas.

Ex Limão com Alecrim, formada em gastronomia, apaixonada por esportes, vinho, boa gastronomia e viagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *